fbpx

Boa parte do Carnaval envolve grandes quantidades de glitter espalhadas pelo corpo. Afinal de contas a festa só estará completa quando você chegar em casa parecendo o próprio arco-íris. Existe magia até no ato de passar o restante da semana tentado tirar todos as minúsculas partículas brilhantes, que são fáceis de grudar e difíceis para sair. Porém, essa alegria pode ser irresponsável quando deixamos de pensar que o glitter que ilumina nossa festa, causa grandes problemas para a fauna marinha.
O glitter comum é produzido de plástico e alumínio e possuem menos de 5mm de diâmetro, sendo assim, não é possível filtrá-los e acabam sendo consumidos por diversos animais marinhos e por vezes até humanos. De acordo com um estudo publicado em 2015, existem entre 15 e 51 trilhões de micropartículas nos mares que afetam a fauna marinha atualmente.
A melhor forma de impedir que essas partículas sejam despejadas nos oceanos é removê-las com papel ou algodão antes de ir para o chuveiro. Entretanto, não há maneiras de evitar que o glitter que fica pelas ruas poluam o meio ambiente.
Entretanto, existe uma maneira de continuar brilhando sem fazer mal a ninguém. Listamos aqui, diversas marcas que produzem glitter biodegradável, veja:
1. Pura bioglitter:
2. Cami.nito
3. Giltra
4. Brilhow
5. Zim Color
Os preços variam de R$ 10 até R$ 50 e os materiais utilizados são os mais variados, mas sempre orgânicos, como algas marinhas e pó de rochas. Em comparação ao glitter comum, o valor é mais alto. Isso porque, existem pouquíssimos fornecedores de qualidade para esse tipo de produto. Por isso, é necessário o esforço coletivo e disseminação dessa prática, para que essa alternativa se torne padrão.
Se preferir, você fabricar o seu próprio glitter, veja abaixo uma receita:
Passo 1: Escolha a sua base
Pode ser feita com pó de gelatina incolor (encontrado em supermercados), mas se preferir uma opção vegana teste o pó de ágar-ágar, também conhecido como gelatina vegetal (vendido em lojas de produtos naturais).
Passo 2: Misture
Faça uma pasta do pó com os corantes de sua preferência. Opte por compostos biodegradáveis como pó de beterraba, cúrcuma, spirulina e urucum. Se quiser um efeito mais brilhoso, adicione o pó de mica, um mineral natural.
Passo 3: Deixe secar
Espalhe a pasta em uma camada fina sob um tapete de silicone. Deixe secar integralmente. Isso pode durar até 36 horas.
Passo 4: Triture
Com a pasta completamente seca, triture em um mixer (processador menor) para ter o efeito da purpurina.

BelezaCulturaLazer

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *